quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Quem é você?



É um sentimento repentino que veio do nada, não sei explicar como, nem da onde. Só sei que apenas veio. E ficou, ficou de uma forma que não consigo explicar, que me corrói por dentro quando tento descobrir o porque de tudo isso. A muito tempo não tinha proposito de entrar aqui por alguém, a partir do dia em que falei contigo, eu comecei a entrar para ver se você estava, para ficar próxima de você. Eu tenho medo, muito medo. Tenho medo de isso não ser sólido o suficiente para sustentar todo esse meu amor que vem por aí, que talvez esteja crescendo descontroladamente, tenho medo de que amanha você não sinta a mesma coisa, ou que sinta só que com menos fervor. Só não quero que a força do medo que tenho estrague tudo entre nós. Que essa vontade repentina de ter você aqui não passe. É uma vontade louca, estranha, boa. Me deixa confusa, alegre. Me da um nó na garganta e um aperto no coração, e junto a tudo isso vem também o frio na barriga que nunca pode faltar. É um sentimento que a cada palavra tua me faz delirar em devaneios que me fazem mergulhar num mundo só meu, onde só existe você. Eu nem sei, realmente o porque de escrever isso. Faz o que? Duas semanas que nos conhecemos? Mas talvez para mim seja como se fosse um ano. O sorriso bobo que surge em mim toda vez que falo contigo, me faz bem. Um bem que não entendo. Eu não entendo mais nada aqui. Não entendo o porque do sentimento, o porque de eu me sentir assim, com essa vontade de chorar, o porque do medo. O medo de te perder, e também o medo de te ter. Você não sai mais dos meus pensamentos, da minha cabeça, de mim. Só lhe faço uma pergunta: Quem é você? E porque está fazendo isso comigo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário