quinta-feira, 8 de março de 2012

A Lua e Eu.



Numa constante nostalgia, me pego a olhar a lua e imaginar como seria se você estivesse comigo.  Num momento de solidão, que me vejo sozinha, sem ninguém perto. Alias, existe sim... Muitas pessoas, mas nenhuma me fazendo companhia para que eu possa sentir aquele calor humano que me acolhe ou me protege. Apenas a luz da lua que me ilumina e num pequeno papel um esboço de uma realidade que me assusta, que me deixa com medo de enxergar a real maneira que a vida se mostra, batendo em minha porta; que é uma mistura de tristeza e de felicidade, agonia e conforto. Esse vento gelado que sinto aflorar em minha pele, que me faz arrepiar constantemente, sinto levemente minha pele ficar tremula por causa do frio e me sinto como se fosse à lua. Vejo-a tão sozinha, solitária, fria... Esquecida. E logo penso que sou como ela. Uma coisa tão bela, mas tão sozinha... Torcendo para que um abraço possa acolhe-lha, e fazê-la pegar num leve sono, naquele conforto que é o abraço daquela pessoa que a tanto lhe custou o amor. Ali mesmo, diante da lua, declarando seu amor silenciosamente, para si mesmo. Da onde existe uma explosão de sentimentos e contratempos. Que a faz numa confusão, uma confusão sem fim. Onde ela se perde, num mundo que é só dela. E ali sozinha, sentindo frio ela permanece até cair no sono, onde que só assim ela consegue dormir. Ela e lua... Duas almas que por algum propósito permanecem sempre juntas. 

quarta-feira, 7 de março de 2012

Um sentimento que não existe, mas que permanece.

Às vezes nos perguntamos qual a razão pra tanta tristeza ou pra tamanha felicidade. Antes eu não sabia, mas foi prestando atenção nos acontecimentos que pude perceber que a tristeza se fazia todas as vezes que eu olhava ao meu redor e via milhares de pessoas ao meu lado e eu me sentindo sozinha, e que a felicidade se fez a partir do momento que passei a olhar a vida de outro ângulo... Que passei a olhar a vida através dos seus olhos, que vi meus sorrisos a ser despertado por você, e que as lágrimas que corriam do meu rosto agora eram de felicidade. Por te ter, por você existir, por ver meu mundo se encher de luz simplesmente porque você sorriu pra mim, me deu carinho mesmo que foi com palavras escritas, e sentir minhas energias serem recarregadas com sua presença, e vi com tudo isso que a vida é simples assim, que mais uma vez ficou provado que a palavra "amor" é simples de se escrever, mas muito poderosa de se sentir...  Lembro-me de quando fazíamos planos, sem querer. Que nos pegávamos pensando num futuro que ainda não era tão esperado; que ainda não era tão cogitado. Mas que me fazia ver o quão você já era importante para mim, o quanto eu já estava preparando um futuro ao seu lado, mesmo sem você saber, sem ninguém saber. Ter você perto de mim já era uma coisa que queria e não desistiria de você, por nada no mundo. Alias, apenas se não me quisesse. Mas, vi que também sentia algo por mim, mesmo que fosse algo pequeno, que ainda não era tão firme, mas tudo... Todas as palavras, todas nossas conversas me fez ver que realmente era você quem eu queria.  E quem eu lutaria até o final. E hoje vejo que consegui, consegui sentir novamente em mim o que á muito tempo uma pessoa tinha tirado de mim. Aquela vontade de amar, aquele poder de acreditar nas pessoas, no que elas diziam; no que elas sentiam. Consegui enxergar novamente que a vida não é feita apenas de simples promessas, mas de pessoas que realizam suas promessas.  A cada palavra dita, a cada gesto feito. E hoje só tenho a agradecer á você. E lhe dizer que meu amor não é mais aquele que no começo tinha um pouco de insegurança e medo. Hoje meu amor é firme, tão firme quanto uma rocha.