quinta-feira, 31 de maio de 2012

Vermelho sangue.



Eu imagino mortes, a crio e até vivo.
Por talvez serem mais fáceis, menos complexas e mais organizadas.  Mais fortes, delirantes, mas profundas. Mais impactantes. É algo subliminar imaginar coisas do tipo. É a mesma coisa que sentirmos a morte se aproximando de nós...
A respiração fica ofegante, você sente a dor de algo entrando em seu peito. Ou de alguma coisa que faça parar todos seus movimentos.
O mundo se fecha, seus olhos se fecham e você não sabe nem o que se passa por fora de você... Sente apenas sua alma e seus pensamentos. Na qual, e da onde vem todas as deliciosas palavras e imagens que nos tormenta e nos faz acreditar mais ainda que a morte não é nada difícil.
Sim, tenho medo dela.
Acho que não suportaria, mas enquanto ela não vem (ainda bem) eu fico a escrever e me deliciar com palavras que geram medo e tormenta a alguns.

Nenhum comentário:

Postar um comentário