segunda-feira, 2 de julho de 2012

Quente como o verão

Cada detalhe seu, cada gesto, cheiro, palavras vai ficando guardado em mim, impregnado a minha alma e minha pele, que qualquer pessoa que olhar com um pouco mais de curiosidade nos olhos verá o quanto meche comigo e com o meu interior. Verá que você me faz bem com seus gestos de carinho mesmo que sejam um pouco desajeitados, seus sorrisos bobos ao ouvir os pequenos e contraditórios elogios... Nossos olhares se cruzando incansavelmente, seus abraços apertados que me confortam, os mesmos que querendo ou não me sinto protegida de algo que nem ao menos eu sei o que é.  E que também me faz mal, sua ausência sem explicações, sua inconstante falta, a distância que insisti em criar entre nós. Mas como sempre eu vou superando, eu vou tentando fazer mudar tudo isso, pelo menos um pouco. E vou tentando mudar eu mesma por si só, para que eu não sofra mais tarde, com todos esses meus erros cometidos por conta do meu orgulho, por conta de tentar transparecer um pouco mais forte. Apesar de gostar o medo ainda me domina e me faz ver o quanto eu ainda posso permanecer nessa história de sinto e não sinto. E está cada dia mais difícil, mais cansativo...