domingo, 30 de setembro de 2012

Há tempo.


                                        
                                              E ali mesmo, estávamos sentadas uma do lado da outra...

            Eu dizia que estava tudo bem se você fosse, mas por dentro eu estava implorando que ficasse.

Estava me fazendo de forte, pois já sabia que não havia mais escolhas ou coisas a se fazer em respeito a nós.  “Mas tudo bem”; eu dizia a todo momento para mim mesma, palavras estas que ecoavam e que iam me torturando a cada instante sequer num silêncio absurdo dentro de mim.  E essa dor repentina e inconstante que fica dentro de mim, vou superando, relevando a cada dia, a cada minuto que se passa vou tentando tirar de dentro de mim.  São coisas que eu sempre soube que iria acontecer, mas desde então eu não planejava me apaixonar por você; não sabia que iria se tornar tão especial à ponto de só pensar no seu sorriso, no seu olhar, meus olhos se enchessem de lágrimas e ter que olhar para cima num gesto inusitado para que não escorressem nenhuma gota sequer dos meus olhos, para que minha dor  – pela sua ausência, não transparecesse à ninguém. Eu sinto muito por tudo isso, mas sei mais do que ninguém que quando se trata de sentimento ou coisa parecida ninguém consegue manipular, não consegue simplesmente criar algo. Só espero que seja feliz, que um dia ainda, possamos nos ver sem algum rancor (da minha parte), sem problemas, sem frio na barriga. 

Vem pra mais perto...




          Porque eu sei, você sabe... Afinal, todos sabem que essa “casca” que criamos em torno de nós é apenas uma proteção.

E por mais fechada que parece ser, sei que sentirei sua falta, sentirei falta de seus abraços, do seu cheiro, da sua companhia, de você completamente perto de mim. E isso aqui já esta começando a doer, sabe? Tento evitar, mas é uma coisa impossível para mim, não sentir.  É uma coisa que mesmo eu não querendo eu sinto.
        Quero aproveitar todo segundo que ainda temos, mas meu medo de te incomodar ou algo do tipo, não deixa. Tenho vontade de te ligar só para ouvir sua voz, vontade de mandar uma mensagem que te faça abrir um sorriso, esse sorriso tão lindo que sou apaixonada por ele. Olhar nos seus olhos e dizer o quanto gosto de ter você comigo. O quanto gosto de deitar no seu ombro e poder ali, fechar os olhos, nem que seja por segundos e saber o quanto é bom tudo aquilo, o quanto é bom sentir seu cheio aconchegante.
Mas infelizmente, abro os olhos e vejo que é tudo passageiro, que um dia iremos nos separar e só deus sabe quando iremos nos ver. Sei que isso tudo pode parecer muito exagerado, mas é meu jeito de ver a coisas é meu medo de perder pessoas próximas, pessoas como você, que eu sei que fará falta. Eu sei que não irei te perder completamente, sei sim, mas não sei explicar o porquê de sentir tudo isso.
Há quanto tempo eu não derramava uma lágrima para qualquer pessoa, lágrimas de sentimentos, como essas que escorrem de meus olhos agora.  É algo bem difícil para uma pessoa como eu, não sei como é para você. Tenho duvidas... Medo, curiosidades, não saber o que sente ou o que deixa de sentir, e isso me corroí por dentro de tal forma que é impossível dizer ou escrever. 

“Deixa eu mimar você, adorar você, agora, só agora... Por que um dia eu sei, vou ter que deixá-lo ir.”

E com essas poucas palavras posso dizer que eu sou apaixonada por você. Pode ser ilusão, amor, qualquer coisa... Sei lá! É algo, algo forte. Que já não cabia mais em meu peito.