quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Chacina da Candelária



Hoje depois de muito tempo, mesmo assim, temos que rever tudo. Estava assistindo um documentário, na aula de Sociologia que o professor Rafael passou para as salas, que se trata sobre o Sequestro do ônibus 174 que ocorreu no dia 12 de junho de 2000 no Rio de Janeiro. O assaltante e sequestrador era Sandro Rosa do Nascimento nasceu no Rio de Janeiro em 7 de julho de 1978. Antes de seu nascimento, seu pai biológico abandonou sua mãe assim que descobriu que ela estava grávida. Aos seis anos de idade, Sandro presenciou o assassinato de sua mãe na favela onde moravam. Foi então que ele virou menino de rua e adotou o apelido de "Mancha". Ele acabou se viciando em drogas, roubando para manter seu vício em cocaína. Sandro nunca aprendeu a ler ou escrever, apesar de ter sido mandado para inúmeras instituições de atendimento a jovens delinquentes (a onde eram maltratados). Sandro frequentava a igreja da Candelária, onde recebia comida e abrigo. Ali, fez amizade com vários outros menores de rua. No dia 23 de julho de 1993, Sandro presenciou o massacre da Candelária e foi um dos feridos.
A chacina da Candelária, como ficou registrada pela mídia, ocorreu na madrugada do dia 23 de julho de 1993, próximo às dependências da Igreja de mesmo nome localizada no centro da cidade do Rio de Janeiro. Nesta chacina, seis menores e dois maiores sem-tetos foram assassinados por policiais militares.
Na madrugada do dia 23 de julho de 1993, aproximadamente à meia-noite, vários carros pararam em frente à Igreja da Candelária. Logo após, os policiais abriram fogo contra mais de setenta crianças e adolescentes que estavam dormindo nas proximidades da Igreja. Como resultado da chacina, seis menores e dois maiores morreram e várias crianças e adolescentes ficaram feridos.
Agora aonde entra a minha revolta: O que crianças de rua têm como culpa merecer isso? Essas crianças não tem uma base familiar ou tem mais vive nas mesmas condições que eles, eles não tem o que fazer, nem pra onde recorrer (ou até tem, mas nem sempre é pra todos) a única saída que eles veem é roubar, usar drogas e viver nas ruas... Eles até tentam conseguir dinheiro, para viver, mas mesmo assim é pouco demais e é usado para consumir drogas. Essas crianças não têm culpa de estar lá, não tinha para que ocorrer aquela chacina. Daí vem que essas crianças, traumatizadas com tudo isso, crescem e fazem o mesmo que o Sandro, conhecido como “Mancha” faz. Agora, parem e reflitam sobre isso: Não tem pra que maltratar uma criança de rua. Se não quer dar dinheiro, para que ela não gaste em drogas ou outra coisa do tipo, dê um pão, um prato de comida. Porque de uma forma ou outra, você estará ajudando uma criança que precisa de cuidado... Assim como seu filho precisa de você, ou seu irmão/irmã, qualquer parente. Não esqueça, que ao contrário deles, você tem uma cama, tem comida, tem um pai ou uma mãe disposto a te ajudar a estar ali, sempre que você precisar. Eles não... Eles dormem num chão frio, em noites frias, não tem a quem correr, não tem ajuda, não tem extremamente nada! Muitas vezes passam dias sem comer, ou comem comidas do lixo. Pare e reflita sobre tudo isso. 
Sinceramente, sinto vontade de adotar todos eles, mesmo não podendo. Porque eu sei, que eles só vivem assim por serem incapazes de conseguir algo na vida. Fico com as minhas palavras por aqui... Pois depois de tudo isso, ainda me falta palavras pra expressar minha angústia ou algo do tipo. Precisava desabafar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário