quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Aqueles momentos...


Sabe aquele momento que você vê a pessoa que você mais ama e a que mais te machuca e você não consegue sequer dizer uma palavra ou algo do tipo? Então...


Sabe aquele momento que tudo roda pela sua cabeça, momentos de lembranças; de dores, sofrimentos, alegrias, carinhos, abraços, beijos, lágrimas...

Sabe aquele momento em que você não se vê longe de uma pessoa, mas também não se vê mais perto dela? 

Aquele momento que longe ela faz falta e perto ela faz mal. 

Aquele momento que você ouve o nome dela e dentro de você, você sente seu coração pulsar mais forte, sua respiração ficar mais forte e sente uma lagrima cair de seus olhos.

Aquele momento que você se depara olhando para sua foto com ela e do nada percebe que está com um sorriso bobo dentre os lábios e seus olhos brilham, já com vontade de chorar.
Sabe aquele momento que você percebe que a falta que ela lhe faz é maior do que qualquer coisa que você pode imaginar? 
Você sente como se faltasse algo, como se fosse uma metade de você.



                                    Essa ferida, meu bem, às vezes não sara nunca. Às vezes sara amanhã.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Aquela história sem fim


Era 04 de Janeiro de 1984, um dia comum para algumas pessoas...

Mas isso iria mudar para duas pessoas.

Liesel tinha saído com seus colegas – inclusive, eu estava também com ela; para ir numa pequena praça de um bairro desconhecido por ela. Por lá mesmo ela encontrou alguns colegas dos seus colegas e eles ficaram perambulando por ali.
Liesel usava um all star branco, lembro-me até hoje. Vivia a observa-la, era algo extremamente  incrível. Sua maneira de se vestir era tão simples, nada muito extravagante, tão simples que se tornava algo belo, perfeitamente incrível. Ou pelo menos eu achava.
Liesel era minha melhor amiga, vivíamos a mais de quatro anos juntas... Fazíamos tudo juntas, desde ir para escola, até às vezes dividir o mesmo amor. 
                     
                           Um breve resumo sobre Líesel: Liesel tinha uma estatura mediana, era um pouco magra, tinha longos cabelos negros. Era pálida, branca como o leite e se via suas veias verdes, algumas azuladas claramente.

Voltando aquele dia da praça... Ela conheceu todas as pessoas que se encontravam lá, Liesel sempre foi bem comunicativa, às vezes até era meio fechada... Nunca a entendi muito bem.  Beberam algumas bebidas alcoólicas e ficaram escutando musicas... Liesel tinha um amor, se chamava Miguel, só que não correspondido, ela era uma boba na mão dele.  Naquele dia ele estava lá, mas estava junto à moça com quem dividia seus carinhos. Sabe, eu sentia e via como Liesel se sentia diante desses acontecimentos, já até fui espectador de algumas lágrimas escondidas. Na mesma roda tinha um moço, chamado Bernardo com quem Liesel cativou um carinho bem grande a partir daquele dia.

                           Um breve resumo sobre Bernardo: Com um corpo muito bonito, nem tão magro e nem tão gordo. Tinha cabelos castanhos e olhos castanhos, um olhar dominante e cativante. – que fique entre nós, mas acho que foi o olhar dele que Liesel ficou cativada.
A partir desse dia, Liesel e Bernardo começaram a se encontrar nas vezes que saíam e algo chamava a atenção de um ao outro e vice-versa.  Era algo facilmente perceptível.
Em meados de Fevereiro daquele mesmo ano, resolveram sair juntos. Para a mesma praça, só que dessa vez sem todos aqueles colegas e sem o rapaz que fazia Liesel se sentir mal. Conversaram tanto, de tudo um pouco... Foram descobrindo coisas maravilhosas um do outro. E ali começou a crescer um sentimento forte. Logo eles trocaram caricias delicadas e cada palavra que ele dizia era uma vibração no coração de Liesel.
 Liesel chegou a me dizer que a voz dele era como notas musicais espetacularmente perfeitas, gostosa de ouvir. Algo tão simples que fazia Liesel ficar cada vez mais sentida com tudo aquilo.
Passaram-se meses, eles nunca tiveram nada sério, do que fossem um do outro. Mas ela sentia-se como fosse, pois naquela altura, o amor dela era completamente dele. Ela apenas pensava nele, não sentia vontade de ter outras pessoas por perto. Queria apenas ele.  Agora já ele... Queria ter todas, queria que suas vontades reprimidas acontecessem e não ligava para nada, nem a quem machucava. Entre essas e outras, Liesel era quem se machucava.
Aguentei tantas noites ela sobre meu peito chorando, como se o mundo fosse acabar... Parecia que nada e ninguém iriam conseguir tirar aquele azedume do peito dela. Mas eu sempre fazia esquecer, com algumas brincadeiras bobas, com caretas e abraços apertados... Havia noites em que ela dormia em meu peito depois de tanto chorar.
Eles eram extremamente iguais. Liesel era de capricórnio e Bernardo de virgem. Encaixavam-se perfeitamente, tinham os mesmos objetivos de vida e se comportavam de maneira muito parecida. Era como se um fosse à alma gêmea do outro. Só tinha uma coisa que deixava os dois serem diferentes...  A vontade que um tinha do outro. Enquanto Liesel estava amando-o, ele apenas gostava de tê-la por perto. E assim por diante. 
Depois de algumas semanas de tanto se machucar, Liesel tomou uma decisão: Não iria mais continuar com ele. Eu não sei da onde ela tirou forças para que isso acontecesse. Mas o fez! Eles terminaram o que não tinham e ficaram sem conversar por semanas. Depois disso - coisa que eu já esperava; eles voltaram a conversar. E logo voltaram a ficar juntos e foi de novo como antes, as mesmas coisas.  E adivinha, terminaram de novo, só que agora pra sempre. Bom, pelo menos foi isso que Liesel me disse... E acho que irá se cumprir, é algo que cansou demais. Mesmo com todo o sentimento que havia dentro dela, ela já não suportava mais aquilo...
Infelizmente é uma história sem fim, sem sentido e sem razão pelo qual tantos acontecimentos.  Mas eu ainda voltarei aqui para terminar essa história. 

domingo, 27 de janeiro de 2013

Texto sem nome.


É surreal essa sua maneira escrota de viver a vida, é ridícula. É até inaceitável. Você é um lixo, será que não percebe?  Até quando será assim? Essa sua vida de merda, essa sua vontade de viver algo que não dá em porra nenhuma. Sabe o que eu sinto agora? Além de dor, nojo, angústia... De amar uma pessoa como você.  Você é a minha maior decepção e vejo que será pra sempre a maior, porque não sei se existe uma pessoa que chega ao seu ponto.
Seria mais bonito ter falado que só queria me comer, que queria apenas isso. Teria sido bem mais admirável ter dito isso.
Agora você não dá valor a um sentimento verdadeiro, foda-se  você e sua ignorância.
Se soubesse o nojo que estou sentindo de você, o arrependimento de ter deixado você me tocar daquela forma, de ter dito tudo o que sinto e mais, de um dia ter chegado para alguém e ter falado com a boca cheia: eu amo ela.  Arrependo-me de ter corrido tanto atrás de você, de ter de dedicado horas pra você. Foi bom? Foi! Não estou cuspindo no prato que comi, jamais. Porque querendo ou não, os momentos que passei ao seu lado, que vivi contigo foram ótimos. E sabe, vou acrescentar muito na minha vida sobre você. Principalmente as piores partes e irei fazer questão de sempre me lembrar do quanto hipócrita você é, o quão não é digna nem dessas palavras de raiva que estou escrevendo nesse momento.  Então, por um breve momento de sanidade descobri o que estava me matando, e esse alguém é você.  Vontade de te falar tudo o que se passa na minha mente agora, como me sinto, o quanto você me magoa e me faz chorar todos os dias, vontade de jogar na sua cara tudo o que fez pra mim.
Engraçado é que mudei por você, você pode achar que não... Mas fiz uma reforma em mim, no meu ser. Quisera eu ter ficado como antes. Se for pra contar nos dedos tudo o que eu fiz... Ah cara, eu to sofrendo. Tá doendo como nunca doeu antes, tá me sufocando.
Agora entendo quando a menina disse: ‘Você gosta de tomar veneno?’ Você é o veneno!  E apesar de tudo isso, eu ainda, bem lá no fundo eu acredito em você, acredito que irá mudar, acredito que você não é assim... Por mais que pense que é. Não consigo imaginar que fui amar uma pessoa como você.  E se você for esse monstro que se mostra ser, por favor, me esquece. Afasta-se de mim, porque eu sei que não mereço passar por isso...  Sei que você tem medo de me machucar, só que parece que quanto mais medo você tem, mais você me machuca. E se for pra continuar assim... Por favor, te peço. MORRE! Magoada, triste, despedaçada por dentro… Só eu sei como eu estou depois de tudo isso...
Sua burra! Você acha mesmo que preferia ficar com mais pessoas a ter que escolher você? Claro que não. Fiquei sim com outras pessoas, mas não consegui continuar ficando porque meu amor por você era maior do que uma simples noite, um simples beijo.  Tenho tanta coisa pra falar, só que preciso dormir, pra ver se ameniza algo aqui dentro.

Queria poder rasgar meu coração, para não amar nunca mais.

Aprendi: Ha uma grande diferença entre amar e ser otária.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Bom dia.


Eu não sabia que eu era tão importante assim pra você, não sabia o tamanho do meu valor. Não sabia que eu para você é mais que algo, era mais que umas oportunidades de uma vida melhor, ou algo do tipo. Não sabia que seu amor era tão grande e que você seria capaz de fazer isso por mim. Eu fico sem palavras para você menina! Você que esteve sempre ao meu lado, em todos os momentos... Bons e ruins.  Todas as palavras, todas nossas conversas me fez ver que realmente era você quem eu quero ao meu lado.  E quem eu lutaria até o final.  Por você existir, por ver meu mundo se encher de luz, fica comigo enquanto puder, pra sempre.  Adoro o simples fato que tocar minha alma, de me fazer sentir segura e protegida a todo o tempo. Veio, e ficou, ficou de uma forma que não consigo explicar, de uma forma que eu nunca irei querer explicar. Lembra quando a gente dizia que nunca iríamos nos separar? Então, nós nunca vamos.  Você é tão bonita, por dentro sabe... Pra quem te conhece realmente, pra quem sabe quem você é e sabe seus ideais.
“E agora é só você, que me faz cantar... Havia mil motivos pra eu não estar naquele, mas o nosso destino, foi escrito, sobre o som de uma banda qualquer...”

Um corpo sem alma.






E você já deveria saber menino! Já deveria saber... Se envolver com pessoas mais confusas que você, é cair num poço sem fundo, é ver apenas um caminho que te levará sempre para o lado negro da sala, para a frieza daquela cama descoberta, para a descoberta do que seria um “você” pior que você mesmo. 
Se um já não é bom, imagina dois?
O mundo estaria totalmente perdido.
Perdido se existisse mais pessoas como você, mais pessoas que são fracas, alias, que são fortes, mas não conseguem juntar todas aquelas forças do seu interior para fora e parar de tentar achar coisa onde não tem.
Mas não!
Você sabe, está na sua frente, na sua cara e você não faz nada, você sabe que pode alcançar, pode pegar ao menos tentar, mas você simplesmente com essa sua mente fraca e seu coração piedoso e fútil não faz nada para que isso mude.
É sempre o mesmo, as mesmas palavras, as mesmas atitudes... Mostre que você é mais do que essa carcaça podre que está por fora.
Vai viver menino!
O que está fazendo?
Hein?
Não é um corpo que te diferencia de algo, nem a cor da pele, nem a diferença de idade, e sim as coisas feitas e seus pensamentos.
É só querer, só querer.
Eu te ajudo, se precisar de algo.